gov Rio
 
     
  PÁGINA PRINCIPAL :: LISTAR/BUSCAR TODAS AS NOTÍCIAS  
     
 

30/11/2012 19:18:18 - Visualizado em 29/07/2014 15:46:53

 
     
  Batalhão de Choque da PM do DF tem uma mulher no comando  
 
414 visitas  
 
 
 
  Jornalista Priscilla Piffer - Assessoria de imprensa  
 

 

Cynthiane Maria Santos, de 40 anos, foi nomeada pela Polícia Militar a primeira mulher a comandar uma tropa de elite no Brasil: o Batalhão de Choque do Distrito Federal. Cynthiane raspou o cabelo e passou cinco meses com um grupo de homens na mata, enfrentando dificuldades impostas por um dos mais rigorosos cursos de ações táticas e operações especiais do país, que prepara policiais de tropas de elite.

Ela é uma das poucas brasileiras a concluir um curso da elite da polícia. Formada em 1999 no treinamento do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) do Distrito Federal, foi a única mulher em meio a 42 homens. Vinte deles abandonaram o curso antes do final.

A tenente-coronel garante que não teve qualquer regalia ou diferencial em relação aos demais colegas. "Ainda há preconceito. Ouço comentários de que não acreditam que eu concluí o curso, que não sou capaz. Mas os homens me respeitam, nunca tive caso de insubordinação. Ainda quero mais. Todo mundo sabe que meu sonho é comandar o Batalhão de Operações Especiais. A minha chegada ao comando mostra que uma mulher pode qualquer coisa, basta querer, ter preparo psicológico e persistência", disse a oficial.

Além do Distrito Federal, nove estados possuem Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope). Em nenhum deles, no entanto, uma mulher completou o curso de formação. No Bope do Rio de Janeiro, unidade reconhecida como uma das melhores do mundo em incursões em favelas, devido a operações diárias contra traficantes, tem algumas policiais mulheres que trabalham em áreas como medicina e comunicação social, mas nenhuma delas passou pelo curso de formação. Aqui no Rio de Janeiro as vagas não são limitadas por sexo, tanto homens como mulheres podem se inscrever no curso. As provas seletivas são as mesmas e não há previsão para modificação no edital, visando diferença em qualquer etapa do concurso.

No comando do Batalhão de Choque, que inclui pelotões que buscam conter assassinatos na região metropolitana do Distrito Federal, a oficial diz que a profissão lhe permite viver muitas emoções e "situações bem peculiares". "Quanto você está em uma troca de tiros, sua vida está em risco por milímetros. É uma situação em que você está muito exposto", diz.

Ela recomenda que mulheres tenham coragem para arriscar na carreira. "Para mim, é um enorme desafio comandar o Choque por nenhuma outra mulher ter comandando uma tropa de elite no país. Mas não deixo a feminilidade de lado, por ser o que eu sou. Uso vestido, salto alto, maquiagem. Fora do quartel, eu sou a Cyntiane, não a comandante."

 
 
    Dúvidas e Sugestões  
       
     
     
 
  GALERIA - 0 Fotos - 0 Vídeos  
 
 
 
     
 
     
 
       
Para o policial Para o cidadão Sites relacionados Outros links
       
PROEIS Disque Denúncia ALERJ DETRAN
PRODERJ Corregedoria Tribunal de Justiça PROCON
Contracheque PRODERJ Ministério Público Rio Poupa Tempo
EAD / SENASP Delegacia Virtual Polícia Federal Diário Oficial - RJ
Identidade Funcional Batalhão da sua área Polícia Civil Diário Oficial da União
Escola Virtual   Corpo de Bombeiros Governo Federal
    Procurados pela Justiça Direitos Humanos
    Instituto de Segurança Pública Consulta de Processos
    Secretaria de Segurança Pública  
    SEAP / RJ  
       
       
       
Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro
Endereço: Rua Evaristo da Veiga nº 78 - Centro - Rio de Janeiro - CEP 20031-040 - / Comunicação Social: 2333-2658 / 2333-2659 E-mail: imprensa@pmerj.rj.gov.br
Site desenvolvido por CETIC - Coordenadoria Especializada de Tecnologia da Informação e Comunicação - WebMaster: ssweb@pmerj.rj.gov.br.


direitos